quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Melhores livros de 2014!

  3 comments    
categories: , ,
Aproveitando essas últimas horas do ano, hoje vim falar dos melhores livros de 2014! Esses livros não foram necessáriamente lançados em 2014, mas são os que eu li esse ano. E eles não estão em ordem, só o primeiro que foi com certeza o melhor!

1- Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo


"Aristóteles é um jovem de quinze anos solitário e introspectivo, revoltado com todos os segredos que o mantêm distante da verdade sobre sua própria vida. Há anos ele não escuta o nome do irmão mais velho dentro de casa, e tudo o que ele sabe é que Bernardo está preso, mas não tem ideia do que aconteceu. Ele já não suporta todo esse mistério à sua volta, principalmente quando há ainda mais mistérios escondidos dentro de si.

Quando chegam as férias de verão, Ari se pergunta se finalmente descobrirá o mundo que está lá fora à sua espera e de que tanto ouve falar. Por acaso, ele encontra um garoto que, apesar de também ter ascendência mexicana e o nome de um intelectual famoso, é completamente diferente dele. O que começa como uma aula de natação aos poucos se transforma numa amizade especial, do tipo que muda a vida das pessoas e dura para sempre. E é através dessa amizade que Ari e Dante vão descobrir mais sobre si mesmos - e sobre o tipo de pessoa que querem ser."

Esse livro foi tão maravilhosamente diferente de tudo que eu li esse ano, e eu não esperava que fosse assim tão bom.

2- Fangirl 


"Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenafa aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estréia de cada filme.
Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar."

Esse foi o primeiro livro que li da Rainbow Rowell, e possivelmente o livro com o qual eu mais me identifiquei na vida. Gostei tanto da escrita da autora que não pude deixar de incluir outro de seus livros na lista de favoritos...

3- Eleanor & Park

"Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo."

4- Mentirosos

"Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano eles passam as férias de verão numa ilha particular. Cadence, neta primogênita e principal herdeira, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Cadence admira Gat por suas convicções políticas e, conforme os anos passam, a amizade com aquele garoto intenso evolui para algo mais. Mas tudo desmorona durante o verão de seus quinze anos, quando Cadence sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido¿ até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.
Mentirosos é um suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso o fará mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence, para então vir à tona completamente impactado."

Provavelmente o livro mais trágico que já li na vida. 

5- Perdão, Leonard Peacock 


"Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto."

6- Anna e o Beijo Francês


“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.” Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada... Anna e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?"

Se você nunca leu esse livro, você não sabe o que é fofura.

Então, esses foram os melhores livros que eu li em 2014. Feliz ano novo para todos, que 2015 seja cheio de alegria e tudo que vocês mais desejam!
Beijos, Jú

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Universidade nos EUA



Oi, gente! Hoje quero falar sobre estudar no exterior. Sei que muita gente tem vontade, inclusive eu, mas parece algo tão de outro mundo e tão impossível que as vezes até desanima. Mas, na realidade, não é tão difícil "se aplicar"e tentar ser aceito. O único problema de verdade são os preços nada acessíveis para nós do Brasil, e mesmo assim é possível encontrar universidades que oferecem bolsas para alunos internacionais.
Andei pesquisando (mesmo fazendo o vestibular no final do ano que vem, já gosto de saber direitinho o que vou ter que fazer haha) e consegui descobrir os passos para fazer a sua "application" e tentar estudar nos EUA. Com relação a outros países não sei muio como funciona, mas o básico não deve ser muito diferente. Então, sigam os seguintes passos e sejam felizes:

Primeiro Passo: pesquisar sobre as universidades.

Esse passo na verdade vale para qualquer país do mundo. É muito importante se informar sobre as universidades em que você está interessado, procurar saber quais cursos elas oferecem, se há possibilidade de bolsa ou qualquer tipo de ajuda financeira, se eles aceitam estudantes internacionais, se há alguma exigência específica para entrar, e tudo mais. Normalmente os sites te informam quase tudo que você precisa saber então não deixe de explorá-los. Além disso, é sempre possível entrar em contato com as universidade por email ou carta pra tirar dúvidas!

Segundo Passo: provas

Nos EUA não existe um vestibular como aqui no Brasil, mas, principalmente para estudantes internacionais, eles pedem os resultados de provas padrão como o SAT ou ACT e provas de profiência em inglês como TOEFL ou IETLS. Essas provas podem ser feitas no Brasil e elas são importantes para que a universidade avalie o seu desempenho.
*Algumas universidade podem pedir os SAT Subject Test, que são provas específicas de alguma matéria. Eles não podem ser feitos no mesmo dia do SAT.

Terceiro Passo: documentos

Junto com a application em si (existem modelos padrão que a univerdade pede.) você deve mandar o seu histórico escolar, certificado de conclusão do Ensino Médio e (na verdade não é uma exigência, mas é bom mandar.) uma carta de recomendação de alguns dos seus professores ou mentores.TUDO TÊM QUE ESTAR EM INGLÊS, e a tradução tem que ser oficial.

Quarto Passo: visto

Depois de mandar tuuudo isso para a(s) universidade(s) escolhidas, é só esperar até que eles respondam. Caso você seja aceito, eles vão te mandar uma carta de aceitação e é ela que você deve apresentar no consulado para conseguir o seu visto de estudante, que é muito importante e sem ele você não vai à lugar nenhum. Você deve ter o passaporte também, claro.

Caso você queira tentar conseguir uma bolsa de estudos ou alguma ajuda financeira, normalmente é só preencher a ficha de aplicação no site da universidade e mandar. Eles vão te dar a resposta junto com a sua carta de aceitação ou rejeição.

Lembrem-se de ficar atentos ao prazo em que você pode se inscrever e mandar sua application e também não se esqueçam de que o ano letivo começa em setembro, então você deve se inscrever no começo do ano.

Early Actions

Pode acontecer de, no meio de suas pesquisas sobre os prazos de incrição você se deparar com termos como Early Actions ou Early Decisions. Essas são aplicações especiais, feitas no ano anterior ao que você deseja entrar na universidade. Você pode decidir fazê-las caso tal faculdade seja a sua primeira opção, a sua primeira escolha. Desta maneira você deve enviar a application em Novembro, e você terá o resultado em meados de Dezembro. O processo é o mesmo, só deve ser feito mais cedo.

Enfim, gente, é isso. Lembrem-se de que não sou nenhum tipo de profissional nessa área, só fiz muuuita pesquisa mesmo haha Experiência própria só terei no ano que vem, mas achei uma boa ideia colocar tudo em um só post, para facilitar. Caso vocês saibam de mais alguma informação, não deixem de me falar!

Beijos, Jú.


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Resenha: O Doador de Memórias

Sinopese da Editora Arqueiro:

Em O doador de memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína.

Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente – o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente.

Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis.

Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.

Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.

*****
Há quem diga que o livro é uma distopia; eu diria que é mais uma utopia. Talvez seja um pouco dos dois.
Jonas vive em uma sociedade perfeita, onde as pessoas desconhecem a guerra, os conflitos e a dor. Porém, para que seja assim, coisas do passado tiveram que ser sacrificadas: já não há mais cores, música, ou emoções. As pessoas inclusive tem que tomar uma pílula para reprimir seus sentimentos, tornando o mundo em que vivem completamente racional.
É muito interessante ver Jonas tomar conhecimento de todas as coisas que já não existem mais, já que são coisas cotidianas para nós. Quase não acreditei quando li que eles viviam em um mundo em preto e branco.
Talvez o que faça esse livro se destacar seja que, diferentemente de todas as distopias/livros de ficção atuais, não existe real conflito. Jonas não tenta começar uma revolução (o que não funcionaria de qualquer maneira, já que ninguém estaria disposto a segui-lo, afinal, ele era o único com o conhecia o passado, além do Doador.), ele simplesmente deixa a sociedade, pensando que aquela era a melhor maneira de resolver os problemas. Na verdade, não há antagonista real nessa história, a não ser falta de emoções em si. Mesmo o governo de toda aquela sociedade alienada não é culpado uma única vez: eles também desconhecem a verdade, que é a única coisa que prova que há algo errado.
O que mais gostei no livro foi a relação entre Gabriel e Jonas, já que Gabriel parece ser o único que o entende (Além, é claro, do próprio Doador de Memórias.) Não é mencionado no livro, mas acredito que eles não tirem as emoções de bebês e crianças. Por isso mesmo, Jonas e Gabriel parecem ter uma ligação.
É um livro curto; eu gostaria que fosse mais longo, mas entendo por que a autora resolveu finalizar do jeito como finalizou. Sei que tem continuações (mais 3 livros.), mas os livros seguintes não seguem Jonas, nem algum conhecido da história.
Ao todo, gostei muito do livro. Até já assisti ao filme, que na verdade achei até mais... Explicativo que o livro, de certa maneira. Algumas coisas foram mudadas, mas achei que foram mudadas para melhor!
Então é isso, se você já leu O Doador de Memórias, ou alguma de suas continuações, comentem e digam o que acharam!
Beijos,

domingo, 7 de dezembro de 2014

Playlist

Ohh really I want this headphone

Oi, gente! Hoje vim trazer pra vocês uma playlist das músicas que mais tenho escutado ultimamente. Descobri alguns artistas novos recentementes, inclusive alguns tão desconhecidos que é até difícil de achar as músicas no youtube! Se você anda procurarando músicas novas (ou não tão novas) pra ouvir, confere aí:

1) Stubborn Love - The Lumineers



Meu vício nessa música já passou dos limites.

2) Hey - Falls


Essa é a tal banda-desconhecida-difícil-de-achar-no-youtube que eu falei. É uma dupla de cantores, que realmente não devia ser desconhecida. Quando vi pensei que era uma das bandas boas que todo mundo já conhece menos eu (porque sou super lerda pra descobrir músicas novas), mas na verdade não, quase ninguém sabe quem eles são. As músicas são fofas e com um ritmo gostoso e as vozes feminina e masculina ficam perfeitas juntas.

3) Big Coat - Wiretree


 Outra banda não é muito conhecida, e dela só conheço essa música, que gosto bastante.

4) Sacred Heart - The Civil Wars


Como a letra é em francês, o que me atraiu mesmo foi o ritmo lentinho, bem no estilo que eu gosto.

5) Thinking Out Loud - Ed Sheeran


Essa tooodo mundo conhece (clipe mais fofo!).

6) Blank Space - Taylor Swift


Confesso não gosto muito das músicas nova da Taylor, e amo demais todas as suas antigas (quando ainda era country), mas gostei bastante dessa música e amei o clipe e estou apaixonada pelo cabelo dela.

7) Whatever You Like - Anya Marina


A Anya Marina descobri ontem e amei tanto que tive que colocar duas músicas!

8) All The Same to Me - Anya Marina


9) Born and Raised - John Mayer


Sei que é velha, mas eu só descobri agora haha

10) Hey Julie - Fountains of Wayne



E vocês, conheciam algumas dessas músicas? Comentem!
Beijos, Jú

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Sobre cabelos curtos

pastel baby | via Tumblr

Sempre fui apaixonaada por cabelos curtos, provavelmente porque sempre tive cabelos longos, e, quando o assunto é cabelo, mulher sempre quer o que não tem! Cortei nos ombros quando tinha uns 10 anos e ficou lindo, mas quando fui cortar de novo, uma certa cabelereira me deixou com os fios na altura da orelha. Tenho muuuito cabelo, e muito volumoso, então já dá pra imaginar o que aconteceu, né?
Desde então meu cabelo nunca foi o mesmo... Sempre muito ressecado, volumoso, complicado, me fazendo chorar de frustração! Apenas recentemente, cedi aos meus desejos antigos de cortar curto novamente, e (ALELUIA!) deu certo!
Então, na inspiração e alegria de poder dizer que tenho cabelos curtos, vim hoje falar dos diveeersos tipos de curto. Não achem que curto é tudo igual! Faz diferença (e muita.).

Pixie
like makeshift puzzlescome on, skinny loveIn The BeyondQueen

Amo demais pixie cut (vulgo joãozinho), principalmente esse do tipo da Emma Watson, que foi inclusive quem me fez descobrir que realmente existia essa coisa de pixie cut haha! Ele anda muito na moda no mundo das celebridades, e é beem curtinho mesmo, não dá nem pra puxar um rabinho! Morro de vontade, mas ainda não cheguei nesse nível de coragem.

Bob
NEW YORK | via TumblrI look down because i don't know any other way

Pelo o que entendi das minhas pesquisas capilares, o bob cut (vulgo chanelzinho) seria esse corte logo acima dos ombros. Acho que legal esse pode ficar bem sofisticado de for liso, e bem despojado se for mais onduladinho.

Long Bob
Karol Pinheiro | Tutoriais de maquiagem, looks, vlog, comportamento, Disney, intercâmbio, Nova YorkMarina Ruy Barbosa Flavia Archanjo | via Tumblr

Como o nome já diz, long bob é a forma mais longa do bob cut, ou seja, ele é na altura dos ombros. Inclusive, é como meu cabelo está atualmente, mais no estilo da segunda foto.

Bom, gente, acredito que estes sejam os estilos principais de cabelos curtos já que se for mais longo já não é curto (?)! Mas sempre temos como variar, cortando uma franjinha, repicando, pintando e etc.

Queria saber, vocês gostam de cabelos curtos, ou preferem os fios beeeem longos mesmo? E qual o seu estilo favorito? Beijos!