sábado, 28 de fevereiro de 2015

Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista

  12 comments    
categories: ,
Com uma certa atmosfera de 'Um dia', mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Oh, o que seria de mim sem os clichês? Hadley acaba de perder seu voo, por apenas quatro minutos, e terá que embarcar no próximo, e provaelmente vai chegar atrasada ao casamento de seu pai, que nem ao menos queria ir. Então, ela conhece Oliver, um britânico fofo, que, por acaso, espera embarcar no mesmo voo que ela

É impossível largar esse livro, e só o fiz por que precisava muuito estudar. Se não precisasse, teria terminado em menos de 24h, que é, aliás, o tempo em que o livro se passa. A narrativa é leve, fácil e evolvente.

Os personagens são todos muito bem contruídos e gostei de absolutamente todos. Apesar de termos pouco tempo para conhecê-los, inclusive a narradora, a autora nos dá alguns flashbacks para podermos entender o que faz deles agirem como agem, fazerem o que fazem. E, ah, Oliver. Novamente, o que seria de mim sem os clichês? Oliver é um deles, e um dos melhores.

Gostei particularmente da relação de Oliver e Hadley, que era muito natural, e eles se entendiam bem. Mas amei a relação entre Hadley e seu pai, que se desenvolve e evolui muito a medida que lemos o livro. Achei maravilhoso que a autora mostrou que, mesmo eles estando brigados e terem feito coisas das quais se arrependem, eles ainda são pai e filha, e a distância entre um país e outro não muda isso.

Há ainda algumas referências de livros de Dickens, o que eu gostei, já que amo referências mesmo quando não sei ao que elas se referem haha! E uma boa parte do livro se passa no aeroporto/avião, e eu amo esse clima de viagem, de gente indo para todo lugar, sabe? Então isso foi um bônus.

Não há mais muito para se falar, esse livro é um amor, te deixa feliz de ler e tenho certeza que qualquer um pode aproveitá-lo, mesmo que um pouco. Ouvi rumores de que ia virar filme, e não duvido, né, afinal, todo livro tem virado filme. Mas vamos esperar e ver.

Vocês já tinham lido? Se não, não deixem de ler!

Beijos,

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Quote do dia #5

Somos capazes de sobreviver a essas coisas horríveis, pois somos tão indestrutíveis quanto pensamos ser. - Quem é você, Alasca?



quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Wishlist: livros de fantasia/distopia


Vocês que veem o blog e não me conhecem, devem achar que eu sou o tipo de pessoa que só lê romancezinhos de adolescente, bem presa ao mundo real e tudo mais. Mas, na realidade, meu gênero favorito sempre foi fantasia. Como já disse em alguns posts passados, ando com um problema para ler livros. O que acontece é que nenhum livro anda me encantando de verdade, sabe? Alguns são, sim, bons. Mas bom não serve, eu quero uma onda de emoções. Quero pensar no livro o dia todo, ler em cada segundo que tenho livre, chorar, rir... Quero a experiência completa, viu, livros? Então, resolvi voltar aos livros que me introduziram ao mundo da leitura, primeiro com Harry Potter, pra ver se eles conseguem me dar o que procuro: os livros fantásticos.

Mas, claro, que depois de ficar presa nessa onda de romances contemporâneos, acabei um pouco perdida em meio as opções. Então hoje vou falar dos livros de fantasia (e alguns de distopia)  pelos quais estou interessada, e,se você já tiver lido algum, não deixem de me falar o que acharam!

Feita de Fumaça e Osso



Juro que só escuto coisas boas sobre essa série. E na verdade não sei sobre o que é, parece algo bem original mesmo. Só sei que é sobre uma menina de cabelo azul, e isso é suficiente. Gosto de ler livros sem saber muito sobre eles! Se vocês estiverem interessados na sinopse, é só clicar no nome do livro que vou deixar o link para o site do Submarino (ou onde estiver mais barato!).

Os Garotos Corvos



Ouvi falar que esse livro é difícil de começar, mas assim que você pega o ritmo, fica maravilhoso. Se não me engano, acho que vão ser quatro livros, e três já foram lançados? Não sei muito sobre esse também haha 



Bom, sobre esse, sei que todos os blogs/booktubers gringos que eu acompanho estão apaixonados por esse livro. Se não me engano, é sobre uma assassina que estava presa, e ela é liberada para participar de um torneio para se tornar o assassino pessoal do rei. É isso mesmo?



Estou um pouco incerta sobre ler esse, já que ele se passa no espaço, e como já disse antes, tenho medo do espaço. Basicamente, se passa num futuro em que o homem conseguiu condições para morar em Marte, e eles estão dividos em Castas. Até que o protagonista se revolta com o sistema, e, bem, me parece o típico livro distópico/fantástico.



Never Fade é o segundo livro da trilogia de Mentes Sombrias, e ainda não foi lançado no Brasil. Já falei sobre ele no meu post dos livros para 2015. Amei o primeiro livro, e apenas não continuei porque estava caro comprar na Amazon, ou em sites brasileiros. Pretendo reler Mentes Sombrias, e então este, o mais rápido possível.

E então, vocês já leram algum desses? Qual é o mais fácil de pegar o ritmo, e um que eu vou gostar com certeza, e não preciso mais ficar preocupada com decepções? Haha

Beijos,

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

TAG: 7 coisas

  16 comments    
categories: 

Oi, gente! Hoje vim responder mais um TAG, e quem me indicou foi a a Danielle do Preenchendo Lacunas! É bem simples a essa TAG, então, vamos lá (e não, essa imagem não tem nada a ver com a tag):

7 coisas para fazer antes de morrer

- Publicar um livro
- Estourar balões de tinta na parede
- Viajar para todos países que ainda não conheço
- Passar na universidade
- Ir nos shows de todos os meus artistas favoritos
- Mudar a vida de alguém
- Reconhecer e tentar melhorar meus defeitos

7 coisas que eu mais falo

- Ai, meu Deus
- Maneiro
- Tenha dó
- Sério?
- Benzadeus!
- Aff
- Como assiiiim?

7 coisas que eu faço bem

- Escrever
- Servir de psicóloga para os amigos
- Sonhar mais do que devia
- Me involver demais com personagens fictícios

- Inventar coisas criativas pra fazer (normalmente elas dão errado haha)
- Guardar segredos
- Desenhar (não sou nenhuma profissional, mas gosto de pensar que sou boa!)

7 coisas que me encantam

- Pessoas falando francês
- Músicos se apresentando como se a vida dependesse disso
- Pessoas que sorriem sempre que seus olhos se encontram
- Personagens que mais parecem gente de verdade
- Refrão de músicas
- A habilidade de desenhar muito bem
- A capacidade de imaginar coisas impossíveis

7 coisas que eu não gosto

- Gente egoísta
- Pessoas machistas
- Pés
- Lugares apertados
- Aranhas
- Essas coisas
- Pessoas que se acham melhores por gostar/fazer certas coisas

7 coisas que eu amo

- Harry Potter
- Chocolate
- Livros
- Música
- Viajar
- Natal
- Cheiro de chuva

7 blogs para responderem a tag

Momento Crivelli
O Clube da Meia Noite
Lendo e Criando com Carinho
Só pra Menores
Cura Leitura
Vida de Leitor
Sobre Caracóis

Bom, é isso! Espero que tenham gostado!
Beijos,

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Resenha: A Playlist da Minha Vida

  13 comments    
categories: , ,

Elise Dembowski nunca foi popular na escola. Ninguém conversava com ela na hora do intervalo nem a convidava para sair no fim de semana. Pior. Ninguém jamais se interessou em saber o que tanto a ela escutava em seu iPod: playlists com o melhor da música pop, único território em que Elise se sente confortável e confiante.
Diante de seu desajuste em relação à maioria, a adolescente tenta de tudo, inclusive a mais radical das saídas, felizmente sem sucesso. No auge de seu solitário desespero, o acaso a leva até a porta de uma balada noturna, via de acesso para um mundo completamente novo, cheio de som e diversão, no qual sua veneração por música funciona como senha para inclusão em um inédito círculo de amizades. 
Vou confessar: comprei esse livro com expectativas extremamente baixas, afinal, todo livro que ando comprando tem me decepcionado. E esse parecia um que certamente não excederia as expectativas, com a sinopse clichê de livro de adolescente com problemas de identidade. Mas comprei mesmo assim porque 1) não tem mais como negar, sou fã de clichês e 2) eu realmente esperava que ele me surpreendesse.

E não é que surpreendeu?

A Playlist da Minha Vida conta a história de Elise Dembowski, uma garota de dezesseis anos, nada popular, extremamente desajustada, que sofre bullying na escola. Até que, passeando solitária no meio da noite, Elise encontra uma balada escondida, a Start, e lá ela conhece pessoas com as quais se identifica, e descobre uma nova paixão: ser DJ.

O livro se passa em três ambientes diferentes: a escola, as casas de Elise (de seu pai e de sua mãe, que são separados.) e a Start. Em cada um desses ambientes, podemos ver um pouquinho do que forma a pessoa Elise. Eu particularmente gostei mais das partes em que ela estava na balada: seu alívio e felicidade em estar ali eram tão óbvios, que eu não pude deixar de desejar como ela estar lá o tempo todo.

Estou realmente perdida sobre como resenhar esse livro. Só consigo pensar no quanto me identifiquei com Elise, em como eu entendia perfeitamente seus sentimentos ao passar por certas situações. Talvez seja idiota dizer isso já que, naturalmente, todo adolescente no mundo, principalmente aqueles um pouquinho diferentes, passam por momentos difíceis quando estão na escola. Mas é raro, por mais que muitos tentem, um livro conseguir descrever tão perfeitamente os sentimentos de quem passa por isso. E, de certa maneira, quero agradecer a autora por ter sido tão realista e honesta, ao invés de representar tudo como um conto de fadas, ou algum problema simples de ser resolvido. Por que não é simples.

Você acha que é fácil mudar seu jeito de ser.Você acha que é fácil, mas não é.O que você acha que é preciso fazer para se reinventar como uma pessoa totalmente nova, uma pessoa coerente, que pertence a algum lugar? Você mudaria as suas roupas, o seu cabelo, o seu rosto? Vá em frente, então. Faça isso. Fure as orelhas, corte o cabelo, compre uma bolsa nova. Mesmo assim eles verão quem você é. Eles verão você, a menina que continua assustada, que continua se fingindo de esperta, que sempre está um passo atrás, que continue sendo – sempre – a errada. Mude o que quiser, mas isso você não pode mudar”

Mas provavelmente o que mais amei no livro todo foram os personagens. É fácil se perder ao construir um narrador maravilhoso e perfeitamente humano, e se esquecer de que os outros personagens também são pessoas; eles também têm história, dificuldades e interesses. E cada um dos personagens desse livro eram reais, com tudo que os faz reais. Gostei especialmente de Vicky, que me deu esperança de um dia, talvez, crescer e ter a confiança dessa garota, de saber exatamente quem e o que quero ser. Mas também gostei de Pippa, que me fez pensar que sim, talvez as pessoas possam ser mudadas, se ensinadas da maneira certa. E como foi maravilhoso aprender com Elise que ser especial não é uma maldição; você pode simplesmente pensar nisso como uma benção.

Outro aspecto lindo desse livro é que cada capítulo começa com o trecho de uma música que se relaciona com o tema daquela capítulo. E a maioria são trechos de músicas boas, viu? Já fiz até uma playlist no celular com todas elas.

Sinto que essa resenha ficou péssima, e que não consegui transmitir nem metade do que realmente senti com o livro, então vou deixar aqui algumas das minhas músicas favorita que foram citadas, na esperança de que elas demonstrem um pouco mais:


Aliás, o título original do livro é This Song Will Save Your Life (Essa música vai salvar a sua vida.). Não é um amor? Que ideia maravilhosa essa moça teve de misturar duas das minhas coisas favoritas no mundo: música e literatura. Música na literatura.

Então, vocês já conheciam o livro? Recomendo muito, para "todos os que se sentem solitários", como disse a Kirkus Reviews.

Beijos,

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

#HeForShe

  4 comments    
categories: 

Você já ouviu falar do movimento He For She? Se você é feminista de carteirinha, ou fã da Emma Watson, provavelmente sim. Numa tradução literal, significa Ele Por Ela, e é um movimento que chama os homens para se juntarem às mulheres na luta pelos direitos iguais.

Emma fez um discurso lindíssimo na ONU, em setembro (sim, já faz tempo, mas antes tarde do que nunca - ainda mais que em setembro o blog nem existia.), e destaca que é importante lembrar que “a definição de feminismo é: A crença de que homens e mulheres devem ter direitos iguais. É a teoria da igualdade política, econômica e social entre os sexos.” e não um movimento contra os homens.

"Eu convido você para dar um passo a frente, para ser visto, e se perguntar... Se não eu, quem? Se não agora, quando?

A campanha tem o objetivo de conscientizar os homens e meninos do mundo todo, e vários já se posicionaram.

 


Pessoalmente, acho essa campanha maravilhosa. Então, não deixem de assistir ao discurso da Emma e se juntar a causa. Aliás, a Emma é mesmo uma Hermione, não? haha 



"Tanto homens como mulheres deveriam se sentir livres para serem sensíveis. Ambos deviam ser livres para se sentirem fortes. É hora de começas a ver gêneros como um espectro ao invés de dois conjuntos de ideais opostos."
E vocês, já conheciam a campanha? O que acham dela? Comentem!
Beijos,

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Dicas de organização/estudo

  9 comments    
categories: ,

Bom, como disse no post anterior, estou esgotada de criatividade por causa das aulas. Este ano é aquele ano pra mim, o último, ano de vestibular, toda aquela coisa bem tensa, sabe? Então acabaram surgindo algumas ideias que vão me ajudar, e, eu espero, ajudar vocês também. Hoje vou mostrar algumas das maneiras de como eu organizo meu plano de estudo, pra não ficar perdida e acabar não estudando nada mesmo. Confiram:

1- Post its, post its e mais post its



Só esse ano descobri as mil e uma utilidades dos post its. Na verdade, só uma: escrever e colar. Colar no caderno, na parede, na cara... Gente, post its são muito úteis. Escreva dúvidas e cole no livro pra lembrar de perguntar, escreva o que tem que fazer no dia e cole na parede,,, Coisas que normalmente esqueço de fazer, colo do lado da minha cama. Ajuda mesmo, pelo menos pra mim.

2- Cronograma de estudos 

Eu vou soar neurótica e meio louca, mas eu normalmente faço um calendário, e escrevo quais matérias tenho que estudar cada dia. Pelo resto do mês, ou meses. Juro que ajuda. Você não tem o trabalho de pensar todos os dias o que você tem que estudar, já está no cronograma (e dá uma alegria riscar aqueles dias piores que você tem que estudar física principalmente).

3- Resumos

Sempre fiz resumos para estudar para as provas, mas esse ano comecei a fazer resumos diários. E quando vou dormir, dou uma lida. São resumos básicos, mas vão fazer você lembrar o que foi dado naquele dia, e já fica pronto para o dia da prova.

4- Escutar música

Essa dica vai depender de pessoa para pessoa. Pra mim, escutar música enquanto eu estudo, especialmente enquanto faço exercícios, ajuda. Me deixa mais relaxada, e se eu não conseguir entender alguma coisa, não vou fazer um drama e chegar a conclusão de que vou repetir o ano e não passar no Enem e blablabla. Mas, claro, não pode ser aquela música que você canta junto, que dá vontade de dançar, senão só vai desconcentrar. Escolha músicas mais calmas (eu particularmente gosto de escutar Passenger enquanto estudo e em qualquer momento na verdade)

5- Respira fundo

Essa dica vou dedicar à mim mesma, porque nunca consegui seguí-la. Gente, o meu estresse na hora de fazer prova, estudar, receber prova e qualquer coisa do gênero, é inacreditável, Então, pra todo mundo que é igual a mim, respirem fundo. Dê um tempo para si mesmo, para relaxar, senão vamos todos pirar até o final do ano.



Bom, gente, é isso, espero que ajude! Boa sorte pra todo mundo que precisa haha
Beijos,


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Música do dia

  6 comments    
categories: ,

Oi, gente! Por esse post dá pra perceber que eu estou extremamente sem criatividade para fazer um post mais interessante. Como desculpa só posso dizer que minhas aulas voltaram e estão drenando toda a minha capacidade de ser criativa. Então, para não deixar o blog muito desatualizado, eu acabo fazendo post desse tipo. O que faz eu me sentir melhor é que essa música é sim, maravilhosa (pelo menos, eu acho.). Então, que ela acrescente alguma coisa na vida de vocês:


O que acharam? Já conheciam?
Beijos,

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Quote do dia #4 - Cidades de Papel (John Green)

“É tão fácil se esquecer de como o mundo é cheio de pessoas, lotado, e cada uma delas é imaginável e sistematicamente mal interpretada.”

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Artista: Cassandra Jean Piedra


Se você é fã da Cassandra Clare, e já visitou pelo menos uma vez o tumblr dela, provavelmente conhece a Cassandra Jean. Ela é uma ilustradora, e se formou no Ringling College of Art and Design, em Belas Artes e Ilustração.





















Cassandra é mais conhecida por fazer desenhos baseados nos livros da outra Cassandra, como As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais, a série Magisterium (Cassandra Clare + Holly Black), e algumas séries das crônicas dos Caçadores das Sombras que ainda não foram lançadas (The Last Hours, The Dark Artifices...). Seus outros trabalhos incluem uma versão de história em quadrinhos do livro Miss Peregrine's Home for Peculiar Children, um mangá de 16 Luas, e a capa de As Crônicas de Bane.


Atualmente, ela está trabalhando em uma história em quadrinhos online, design de tatuagens e ilustrações para camisetas. Além, é claro, de sempre postar em seu tumblr mais algumas ilustrações dos Caçadores das Sombras. Ainda há rumores de que ela fará um quadrinho em colaboração com Cassandra Clare, contando a história do Círculo (se você leu Intrumentos Mortais, sabe do que eu estou falando!). Eu particularmente adorei a ideia!

Outra coisa legal é que algumas ilustrações viraram Tarot Cards (acho que são 78 no total), como os aí de cima, e podem ser comprados aqui!
Para ver mais ilustrações dela, visitem sua página no Deviantart, e o seu Tumblr
Eu gosto muito dos seus desenhos, acho que são muit originais, e ilustram bem os livros ;)  
Vocês já conheciam?
Beijos,




segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Livros que todo mundo gosta menos eu

  10 comments    
categories: 

Esse pode ser um post um pouco polêmico. Hoje vou falar de alguns livros que eu particularmente não gostei ou achei mediano, mas que parece ter agradado (encantado, até.)... bom, o resto do mundo. Não se ofendam se eu criticar seu livro favorito, o livro da sua vida, ou um autor que você acha maaaravilhoso. É só a minha opinião sincera. Vamos lá:

1- Se Eu Ficar - Gayle Forman


Acho que já falei em outros posts que gostei mais de Para Onde Ela Foi do que de Se Eu Ficar, mas não ameeei nenhum deles. Talvez minhas expectativas estivessem muito altas (como poderiam não estar, todo mundo estava falando desse livro.). Achei o livro um pouco monótono, pra ser sincera. Por outro lado, li Apenas Um Dia recentemente (resenha aqui) e absolutamente adorei!

2- Um Caso Perdido - Colleen Hoover


NÃO, EU NÃO GOSTEI DE UM CASO PERDIDO, ME CONDENEM, Sério. O tanto de gente que me acha louca por não gostar desse livro é inacreditável. Achei a história nada realistica, os personagens extremamente chatos e clichê, um amor instantâneo nada incrível... Podem me jogar na fogueira agora. Mas eu gostei de Métrica (resenha), tá? 

3- Outlander - Diana Galbadon


Não sei se esse livro está fazendo muito sucesso aqui no Brasil, mas nos EUA com certeza está. Eu queria muuito gostar desse livro, de verdade. A história parecia tão interessante. Mas eu acho que a autora levou o enredo para um lado completamente errado. Além de o livro ser excessivamente longo, meu Deus, alguém precisa fazer uma edição muito boa.

4- Anexos - Rainbow Rowell


Eu me apaixonei completamente por Eleanor & Park, e Fangirl também. Comprei Anexos esperando amá-lo igualmente, o que não aconteceu. Eu não conseguia ler mais de dez páginas de uma vez, achei a história muito chata, lenta, nada acontecia! Fiquei até meio incerta se quero ler Landline, o outro livro dela que ainda não foi traduzido.

5- Legend - Marie Lu


Pra mim, Legend foi um livro mediano. Me decepcionou um pouco depois de tantas resenhas maravilhosas, mas talvez eu leia o resto da trilogia. Vale a pena?

6- A Menina Mais Fria de Coldtown - Holly Black


Outro livro que esperava adorar, e não gostei tanto assim. Achei que a história se moveu de maneira muito lenta, apesar de ter começado tão bem! E o final? Meu Deus, quase joguei o livro pela janela.

7- Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira


Esse é outro dos polêmicos. Quando vi esse livro na livraria, não pensei duas vezes antes de comprar. Foi um daqueles livros que você não percebe que não está gostando até chegar ao final e perceber que você não dá a mínima. Não gostei da Laurel, nem do Sky, nem da Laurel com o Sky. E, não pode ter sido só eu, alguém mais notou que esse livro é quase uma cópia de As Vantagens de Ser Invisível? Quando percebi, foi o fim, porque passei a considerar o livro como uma versão pior de AVDSI.

8- A Maldição do Tigre - Colleen Houck


Claro que me interessei por esse livro por causa da capa, mas isso não vem ao caso. Pode ter sido a minha falta de interesse em todo o aspecto sobrenatural do livro, meu ódio pelo Ren, ou qualquer outra coisa, mas eu acho que o que me fez odiar esse livro mesmo foi a Kelsey ser uma idiota completa.

Bom, é isso. Se você amou algum desses livros, sério, eu fico muito feliz por você. Eu queria ter gostado deles, de verdade.
Mas não deu.
Então.
Beijos,