domingo, 15 de fevereiro de 2015

Resenha: A Playlist da Minha Vida

  13 comments    
categories: , ,

Elise Dembowski nunca foi popular na escola. Ninguém conversava com ela na hora do intervalo nem a convidava para sair no fim de semana. Pior. Ninguém jamais se interessou em saber o que tanto a ela escutava em seu iPod: playlists com o melhor da música pop, único território em que Elise se sente confortável e confiante.
Diante de seu desajuste em relação à maioria, a adolescente tenta de tudo, inclusive a mais radical das saídas, felizmente sem sucesso. No auge de seu solitário desespero, o acaso a leva até a porta de uma balada noturna, via de acesso para um mundo completamente novo, cheio de som e diversão, no qual sua veneração por música funciona como senha para inclusão em um inédito círculo de amizades. 
Vou confessar: comprei esse livro com expectativas extremamente baixas, afinal, todo livro que ando comprando tem me decepcionado. E esse parecia um que certamente não excederia as expectativas, com a sinopse clichê de livro de adolescente com problemas de identidade. Mas comprei mesmo assim porque 1) não tem mais como negar, sou fã de clichês e 2) eu realmente esperava que ele me surpreendesse.

E não é que surpreendeu?

A Playlist da Minha Vida conta a história de Elise Dembowski, uma garota de dezesseis anos, nada popular, extremamente desajustada, que sofre bullying na escola. Até que, passeando solitária no meio da noite, Elise encontra uma balada escondida, a Start, e lá ela conhece pessoas com as quais se identifica, e descobre uma nova paixão: ser DJ.

O livro se passa em três ambientes diferentes: a escola, as casas de Elise (de seu pai e de sua mãe, que são separados.) e a Start. Em cada um desses ambientes, podemos ver um pouquinho do que forma a pessoa Elise. Eu particularmente gostei mais das partes em que ela estava na balada: seu alívio e felicidade em estar ali eram tão óbvios, que eu não pude deixar de desejar como ela estar lá o tempo todo.

Estou realmente perdida sobre como resenhar esse livro. Só consigo pensar no quanto me identifiquei com Elise, em como eu entendia perfeitamente seus sentimentos ao passar por certas situações. Talvez seja idiota dizer isso já que, naturalmente, todo adolescente no mundo, principalmente aqueles um pouquinho diferentes, passam por momentos difíceis quando estão na escola. Mas é raro, por mais que muitos tentem, um livro conseguir descrever tão perfeitamente os sentimentos de quem passa por isso. E, de certa maneira, quero agradecer a autora por ter sido tão realista e honesta, ao invés de representar tudo como um conto de fadas, ou algum problema simples de ser resolvido. Por que não é simples.

Você acha que é fácil mudar seu jeito de ser.Você acha que é fácil, mas não é.O que você acha que é preciso fazer para se reinventar como uma pessoa totalmente nova, uma pessoa coerente, que pertence a algum lugar? Você mudaria as suas roupas, o seu cabelo, o seu rosto? Vá em frente, então. Faça isso. Fure as orelhas, corte o cabelo, compre uma bolsa nova. Mesmo assim eles verão quem você é. Eles verão você, a menina que continua assustada, que continua se fingindo de esperta, que sempre está um passo atrás, que continue sendo – sempre – a errada. Mude o que quiser, mas isso você não pode mudar”

Mas provavelmente o que mais amei no livro todo foram os personagens. É fácil se perder ao construir um narrador maravilhoso e perfeitamente humano, e se esquecer de que os outros personagens também são pessoas; eles também têm história, dificuldades e interesses. E cada um dos personagens desse livro eram reais, com tudo que os faz reais. Gostei especialmente de Vicky, que me deu esperança de um dia, talvez, crescer e ter a confiança dessa garota, de saber exatamente quem e o que quero ser. Mas também gostei de Pippa, que me fez pensar que sim, talvez as pessoas possam ser mudadas, se ensinadas da maneira certa. E como foi maravilhoso aprender com Elise que ser especial não é uma maldição; você pode simplesmente pensar nisso como uma benção.

Outro aspecto lindo desse livro é que cada capítulo começa com o trecho de uma música que se relaciona com o tema daquela capítulo. E a maioria são trechos de músicas boas, viu? Já fiz até uma playlist no celular com todas elas.

Sinto que essa resenha ficou péssima, e que não consegui transmitir nem metade do que realmente senti com o livro, então vou deixar aqui algumas das minhas músicas favorita que foram citadas, na esperança de que elas demonstrem um pouco mais:


Aliás, o título original do livro é This Song Will Save Your Life (Essa música vai salvar a sua vida.). Não é um amor? Que ideia maravilhosa essa moça teve de misturar duas das minhas coisas favoritas no mundo: música e literatura. Música na literatura.

Então, vocês já conheciam o livro? Recomendo muito, para "todos os que se sentem solitários", como disse a Kirkus Reviews.

Beijos,

13 comentários:

  1. É muito bacana quando nos identificamos com algum personagem, não é?! Os clichês fazem parte da vida...rs. Também tenho certa dificuldade em resenhar os livros que gostei. Curioso isso.

    Beijocas,
    Blog | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é porque a gente quer falar muito, e eu pelo menos fico com a sensação de grande responsabilidade ao resenhar um livro! Beijos, Jú

      Excluir
  2. Gostei da dica de leitura, não conhecia esse livro ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Eu amo livros nesse estilo, com referências musicais. Um que eu li e corri pra escutar foi As Vantagens de Ser Invisível. Tudo bem que nem é um livro com tantas referências, mas já foi legal ouvir as músicas por que elas captavam a essência do livro.
    Confesso que lendo a sinopse eu fiquei sem nenhuma expectativa, igual você, mas passando pela resenha me interessei bastante. Eu amo música, tocar, ouvir, compor, tudo! (menos dançar, ehehe) e tudo bem que aqui ela tá numa perspectiva diferente, mas ver uma adolescente que foi salva pela música, assim como eu, por mais clichê que isso seja é muuuuuuito legal!
    Espero poder ler A Playlist da Minha Vida (gostei mais do título em inglês, muito fofo <3)
    Sua resenha foi boa sim, deu pra sentir como você gostou do livro e do que ele se trata, parabéns!
    Beijos, Amanda.
    www.expressodenarnia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! E eu só comecei a ouvir Smiths por causa de As Vantagens de Ser Invisível <3 Beijos, Jú

      Excluir
  4. Olá,
    Tenho muita vontade de ler esse livro, a premissa dele é ótima e sinto que iria adorar a leitura, tanto quanto você. Adorei as músicas também, só por elas iria adorar o livro!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Julia

    Muito pelo contrário, sua resenha ficou ótima, tão boa que se eu já tinha vontade de ler esse livro agora quero mais ainda.
    Tive alguns problemas de bullying na entrada da adolescência, nada grave, mas que incomodava. E saber que a autora aborda tão bem a forma como a protagonista vive tudo me deixou animada porque nem sempre esse assunto é abordado da forma correta.
    Gosto de livros reais, com personagens cativantes e que nos envolve e que desperta uma identificação.
    Já quero conhecer as músicas.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Julia

    Muito pelo contrário, sua resenha ficou ótima, tão boa que se eu já tinha vontade de ler esse livro agora quero mais ainda.
    Tive alguns problemas de bullying na entrada da adolescência, nada grave, mas que incomodava. E saber que a autora aborda tão bem a forma como a protagonista vive tudo me deixou animada porque nem sempre esse assunto é abordado da forma correta.
    Gosto de livros reais, com personagens cativantes e que nos envolve e que desperta uma identificação.
    Já quero conhecer as músicas.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Ju, eu confesso que quando eu comprei o livro (eu também amo uns clichês, por isso amei de volta aos quinze, loving the band...) eu decepcionei quando ele chegou aqui em casa e eu fui reparar que era da globo livros. Eu não sei porque, mas achei que seria ruim. E me surpreendi. Eu realmente amei o livro, conheci umas músicas maravilhosas e fiquei super feliz de ver wonderwall lá (sou apaixonada nessa música).
    Também fiz resenha dele lá no blog que eu sou colunista, se quiser dá uma olhada - http://devaneiosdalila.blogspot.com.br/2015/02/resenha-playlist-da-minha-vida.html

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um daqueles livros que a gente não dá nada, e acaba sendo ótimo! Obrigada pela visita! Beijos, Jú

      Excluir