domingo, 22 de março de 2015

Sobre o filme de Insurgente

  6 comments    
categories: 

Nessa quinta (19/03/15), foi a estreia de Insurgente, o segundo livro da trilogia de Divergente, baseado nos livros de Veronica Roth. Como fã dos livros, e como alguém que adorou o primeiro filme, eu estava com expectativas altas. Infelizmente, não foi incrível como eu imaginava. Antes de entrar nos spoilers, vou dizer que não é um filme horrível. Se você não leu o livro, provavelmente vai adorar. Algumas mudanças simplesmente não funcionaram pra mim, e eu gostaria que eles tivessem sido mais fiéis a história.

Aviso para os que não leram TODA a trilogia: possivelmente vão haver spoilers sobre o último livro.


Na minha opinião, o filme começou bem. Nas primeiras cenas, vemos Tris, Tobias, Peter e Caleb na Amizade, onde eles estão escondidos dos membros da Erudição. A sequência de cenas em que eles são descobertos por Eric e perseguidos até o trem foram incríveis, e muito fiéis. Pra mim, quem mais se destacou no filme foi Miles Telles, que interpretou o Peter. Ele foi maravilhoso e extremamente idiota, em um estilo bem Peter mesmo. Não gostava muito dele no livro, mas no filme achei que ele foi perfeito. Vou ser chata e dizer que senti falta daquela cena mínima e muito inútil em que eles dão o soro da paz pra Tris e ela fica toda alegrinha, mas, ah, era uma cena divertida que eu queria ter visto.

Tenho que dizer que não lembrava muito de Insurgente, pois li há mais de dois anos e não reli, já que ele não era meu favorito. Então, achei a sequência de acontecimentos bem confusa, e fiquei um pouco perdida tentando lembrar o que realmente acontecia, e o que eles estavam inventando.


A parte em que eles encontram os sem-facção foi boa, mas me incomodou o fato da Evelyn parecer ter a idade do Four. A Naomi Watts tem 46 anos, enquanto o Theo James tem 30. Achei que eles deviam ter feito uma maquiagem nela, ou algo do tipo, mas, bem, esse não é exatamente o foco, não é?

Talvez esse seja o momento em que todos vocês comecem a atirar pedras em mim, mas eu não gosto do Theo como Four. Não acho ele bonito, e não acho que ele interpretou o personagem da maneira certa. Isso já tinha me incomodado em Divergente, e foi ainda pior em Insurgente. E vou dizer de uma vez que achei todas as cenas Fourtris muito bregas e completamente fora da personalidade dos personagens.

Sinceramente, achei o filme todo com um quê de breguisse. O jeito como foi filmeado, as cenas, as falas... tudo foi um pouco ridículo pra mim, e em alguns momentos, cenas que eram para serem sérias ou emocionais, ficaram cômicas. Eu ri. E não só eu, mas todo o cinema.

Outra coisa que eu não gostei foi o excesso de tecnologia. O mundo deles não é tão tecnológico assim e pra mim coisas como aquele... detector (?) de divergentes que mostra qual a facção de cada pessoa, não faz sentido algum. As pessoas podem escolher sua facção, uma diferente daquela que o teste mandou. E então, o que o detector mostraria? A que ela escolheu, ou o resultado do teste? É algo insignificante, eu sei. Mas também é desnecessário.


Agora, com relação àquela caixa. Não gostei, e vocês devem estar me achando uma chata, porque parece que eu não gosto de nada. Eu sei que devem haver mudanças de um livro para um filme, e eu apoio. Apoio, quando as mudanças são necessárias, quando elas fazem sentido, e melhoram a história. O conceito da caixa é interessante, e foi bem executado, mas ela levou a história para um lado que eu não gosto. Jeanine já sabia da mensagem, e ela não queria que ela fosse divulgada. Por a mensagem ser algo que devia ser transmitido quando houvesse muitos divergentes, ela queria acabar com todos eles. E por isso ela fez experimentos com a mente da Tris. Por isso houve um conflito. Para que algo seja introduzido, tem que fazer sentido, e, pra mim, essa caixa não fez.

Achei também que faltou explorar mais os outros personagens, como Uriah, Marlene, Lynn, Christina e sim, Caleb. Em geral, o aspecto dramático e emocional da história foi deixado de lado. No livro, a Tris mal consegue pegar um arma por causa da morte do Will, e a relação dela com a Christina é muito importante, enquanto no filme, essas duas coisas foram mencionadas, mas não tiveram muita importância.

E, para terminar a minha lista de desagrados, prometo, tenho que dizer que odiei o final. Ao receber a mensagem, todos deixam o que estão fazendo, os portões se abrem, e eles estão indo embora. Como assim? As coisas não se resolvem dessa maneira. Evelyn nunca deixaria que todos que agora estavam, teoricamente, em seu poder simplesmente fossem embora. Além disso, o nome Edith Prior nunca foi mencionado, e isso é muito importante em Convergente. E não houve um gancho para o próximo filme, foi como se tudo estivesse resolvido. Nesse passo, fico me perguntando se eles realmente vão matar a Tris, já que tudo está tomando um rumo completamente diferente.


Bom, eu gostei (sim, eu gostei de alguma coisa.) da cena do soro da verdade. Achei que a Shailene interpretou super bem o quanto a Tris estava mal por dentro, e foi um dos únicos momentos realmente emocionantes do filme.

Se você gostou do filme, fico muito feliz, de verdade. Eu queria ter gostado. Sinto que se eu não tivesse lido o livro, eu teria gostado. Meus amigos que não leram gostaram muito, então, acredito que foi um filme bem comercial.

Espero de verdade que eles sejam mais fiéis em Convergente. Eu amo essa série, e amo a mensagem que ela tem pra passar, sua essência, e me mata que mudanças idiotas em filmes façam com que ela signifique menos.

E vocês, o que acharam?
Beijos,


PS: Tem sortei acontecendo no blog! Para participar, clique aqui.

6 comentários:

  1. Oi Jú!
    Você já é a segunda pessoa que vejo dizer que não gostou da adaptação de Insurgente (então não se preocupe em parecer chata, rsrs).
    Eu li a trilogia, mas não gostei muito, então nem assisti os filmes.
    Concordo com você sobre as mudanças: eu não vejo problema em alterações e acredito que elas são até necessárias algumas vezes, mas não quando alteram o rumo da história (principalmente no caso de uma trilogia, afinal, vem outro filme por aí).
    Tomara mesmo que você goste mais de Convergente :)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura que não gostou dos livros? Primeira pessoa que vejo, acredita? Haha. Mas bom, eu acho que um filme nunca vai ser idêntico ao livro, e tudo bem. Mas ser fiel eu acho que é importante. Acho que você tem que respeitar a história, sabe? Beijos, Jú

      Excluir
  2. Oie!

    Ainda não vi o filme, mas vejo que o público está meio divídido sobre se gostou ou não. Uns reclamam da famosa e desconhecida "Caixa de Pandora" (?) positivamente e outros não...

    Mas se eu assistir, minha crítica não será muito útil, já que não li os livros :/

    Bjs!

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você não leu os livros, acho que vai gostar! Mas então, a tal Caixa de Pandora não foi pra mim haha! Beijos, Jú

      Excluir
  3. Estou bem curiosa para ver, vi o primeiro filme e adorei!
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Muita gente não curtiu o filme por estar bem diferente do livro, depois que sai do cinema a primeira coisa que eu fiz foi reler o livro, e cara, ficou muito nada a ver, mas mesmo assim eu consegui gostar, sei la, eu achei bem legal. Sou apaixonada pelo Theo James e não consigo ver outra pessoa como o Four, simplesmente não consigo hahaaha

    Bjs

    eainessie.com

    ResponderExcluir