quarta-feira, 13 de julho de 2016

Conjunto de mini-resenhas

  5 comments    
categories: ,

Oi, oi, gente! Bom, como já disse, sumi por um bom tempinho! Nesse tempinho que deixei o blog sem atualizações li alguns livros que queria comentar. Como já faz um tempo que li a maioria deles, senti que seria difícil fazer resenhas completas de cada um, já que não me lembro de detalhes, e a história (e minha opinião sobre ela) não está tão fresca na minha mente, entendem? Por isso resolvi trapacear e fazer esse post por motivos de atualização mesmo, com resuminhos do que achei de cada livro. Caso vocês achem legal, posso voltar a fazer! Então vamos lá:

1- Tudo e todas as coisas - Nicola Yoon



Vou começar dizendo que comprei esse livro pela capa meeeesmo (e porque a vendedora recomendou)! Mas geeente, olha que capa maravilhosa (podem dar um zoom e olhar direitinho)! Basicamente, esse livro conta a história da Madeline, uma menina que foi diagnosticada com uma rara doença que a impede de sair de casa (ela meio que tem alergia do mundo). Só que quanto mais velha ela vai ficando, mas dificuldade ela tem de aceitar sua situação e quando um garoto se muda pra casa ao lado, tudo que ela mais quer é sair da bolha em que vive. Achei o livro uma gracinha, com um tom de infantilidade e novidade já que tudo é, de fato, novo. Tenho que admitir que Olly (o tal garoto) não me encantou. Simplesmente não consegui me sentir próxima dele, e infelizmente não consegui acreditar muito no relacionamento deles, o que tira um pouco o objetivo do livro, não é? Mas, bom, o que me agradou foi todo esse quê de descoberta, aventura e ousadia. O final não me surpreendeu taaaanto assim, pra ser sincera. Na verdade eu meio que imaginei o que aconteceria, mas me convenci de que não ia acontecer. Mas aconteceu! Provavelmente esse livro vai agradar muitas pessoas: é o típico romance emocionante.

2- O que há de estranho em mim - Gayle Forman


Ah, Gayle Forman. Não sei porque ainda insisto em algo que já vi que não me agrada! Não me encantei por Se Eu Ficar, nem por Eu estive aqui, nem por Apenas um dia. Todos os livros dela são legais. Aceitáveis. Mas acho que sempre me acabo decepcionando. Bom, nesse ela conta a história de Brit, uma adolescente "rebelde" que é mandada para um clínica com métodos de recuperação duvidáveis, agressivos e que com certeza vão contra os direitos humanos. Lá ela conhece algumas meninas, e juntas elas entram em uma missão para derrubar o lugar. Novamente, não consegui sentir o sofrimento que o livro queria passar, nem qualquer outra das emoções. Achei Brit extremamente chata, irritante e sem personalidade. Os personagens que tinham personalidade me pareciam forçados. O romance pra mim foi absurdamente sem graça. Concluímos que acho que está na hora de eu desistir dos livros da Gayle, né? O que é realmente triste porque a maioria parece amar todos os seus livros! O problema deve ser eu mesmo haha

3- Como eu era antes de você - Jojo Moyes



Não tinha como não ler esse livro! E que bom que li porque me apaixonei por Will e Lou. A maioria já deve saber, mas esse livro é sobre Lou, uma garota que está procurando um trabalho para ajudar sua família com as despesas e acaba trabalhando como cuidadora de um homem tetraplégico. Com muito humor, Jojo Moyes conta uma história emocionante. Amei cada um dos personagens pois senti que eles eram pessoas completas e cheias de vida, retratados de maneira muito real, desde suas qualidade até seus defeitos. Obviamente, me apaixonei por Will junto com Lou, e chorei com ela em cada dificuldade. O final me surpreendeu mesmo, eu estava iludida achando que seria um final feliz! Como vocês provavelmente sabem, o livro virou um filme (surprise surprise) que foi lançado recentemente. Gostei, sim, do filme, mas senti que o livro conta tudo de maneira bem mais completa e realista. De qualquer maneira, recomendo ambos!

4- Dama da meia-noite - Cassandra Clare


Deixei o melhor por último mesmo viu Como não falar de Dama da meia-noite? Queria muito fazer uma resenha completa e detalhada desse livro, mas infelizmente li ele já há algum tempo, e seria impossível falar dos detalhes que quero, porque simplesmente não me lembro! Como já imaginávamos, sim, foi incrível.  A Cassandra é uma das minhas autoras favoritas porque faz eu sentir mil coisas enquanto leio, e porque ela consegue interligar todas as histórias tão maravilhosamente! Ela realmente criou um outro mundo, completo e cheio de aspectos maravilhosos e assustadores. Não me admira que ela queira escrever tantos livros nesse universo: ele é tão amplo, ela tem tantas coisas pra explorar! Seus personagens são tão reais, e eu consigo sentir seus vínculos uns com os outros tão intensamente! Acho que todos os seus livros são cheios de coisas lindamente trágicas, e acho que é o que mais me encanta. Talvez eu seja meio masoquista, porque sempre sofro absurdamente lendo seus livros. Mesmo assim, recomendo esse livro (e todos os seus outros, principalmente Peças Infernais <3) mil e uma vezes pra todas as pessoas desse mundo que são apaixonadas por livros incríveis de fantasia.

Bom, gente, acho que são esses os livros que eu realmente queria comentar. Espero que tenham gostado!
Já leram algum desses? O que acharam?
Beijos,


terça-feira, 12 de julho de 2016

Sobre feminismo

  2 comments    
categories: 

Ooooi, gente! Sim, eu sei que sumi! Juro que tenho meus motivos, uns bem mais válidos que os outros. Mas enfim, né? Resolvi voltar hoje já com um tema que tem tomado conta das redes sociais e causado muita polêmica: sim, vamos falar de feminismo. Antes de começar queria dizer que tenho pensado em levar um blog pra um contexto mais social e começar a falar de temas problemáticos e atuais, como esse de hoje. Não sei se vocês gostariam disso, mas sinto que pra mim é muito bom, e eu realmente gostaria de poder expor minhas ideias. Mas claaaro que vamos continuar com os posts literários!

Mas, bom, vamos lá.

Primeiramente: sim, gente, sou feminista. Parece que atualmente falar isso é tão polêmico quando se assumir gay, né? MAS É O SEGUINTE: a maioria das pessoas tem uma ideia muuuito errada de feminismo. Com toda essa informação que a gente recebe e tem acesso por causa da internet e das redes sociais, a galera acha que sabe todas as verdades do universo assim, PLIM, automaticamente, e sai discutindo e falando besteira sem nem dar aquela pesquisada básica antes de falar. Então acho muito importante a gente começar essa discussão definindo logo cedo alguns conceitos que são frequentemente usados de maneira errada. Essas são DEFINIÇÕES, encontradas no dicionário, ou seja; o real significado, independente do que você vê por aí, ok? Vamos manter isso em mente.



Feminismo: "movimento político, filosófico e social que defende a igualdade de direitos entre mulheres e homens."

Machismo: "atitude de quem não aceita a igualdade entre os gêneros, e acredita que o homem é superior à mulher"

Femismo: "contrário do machismo, acredita que a mulher é superior ao homem"

Humanismo: "doutrina que coloca os homens no centro do universo e das preocupações filosóficas" (esse conceito não tem nada a ver com questões de gênero, mas já ouvi tanta gente dizer que "não é feminista nem machista, é humanista", que não podia deixar de falar dele! Você pode ser feministas e humanista, ou humanista e machista.)

Agora que temos tudo definido, podemos começar de verdade. Então, vamos esclarecer o primeiro ponto: um movimento não é definido pelas suas vertentes extremistas. Extremistas existem em TODOS os movimentos, sociedades, religiões, seja lá o que for. Mas não podemos definir um movimento inteiro com base neles! Vertentes extremistas são exceções, existem e sempre vão existir. Então, concluindo esse ponto, podemos falar dos mitos sobre feminismo. E, novamente, quando digo "feminismo", me refiro ao feminismo real, de acordo com sua definição original.

ATUALIZADO: Na realidade, o feminismo radical não é violento dessa maneira. A violência contra o homem é chamada de "misandria". O feminismo radical é uma vertente particular doas várias do feminismo. Nesse post  algumas correntes foram bem definidas, inclusive o feminismo radical.


"FEMINISTAS ODEIAM OS HOMENS"

Opa, já esclarecemos isso nos conceitos, né? Ninguém aqui quer acabar com os homens não, queremos acabar com o machismo. Quem se acha superior aos homens são aquelas no movimento femista (e, sim, eu sei que é fácil confundir), e quem pratica violência contra os homens são são misândricos. A gente só não quer que o fato de sermos mulheres nos impeça de fazer qualquer coisa, ok?

"FEMINISTAS ODEIAM DEPILAÇÃO, MAQUIAGEM E SAEM MOSTRANDO OS PEITOS"

"Não sou feminista, sou feminina": amiga, olha que maravilha, você pode ser os dois! O feminismo quer que as mulheres sejam livres para serem quem realmente são, sem ter que seguir padrões sociais que nos são impostos. Então, se uma mulher se sente melhor sem depilar e sem usar maquiagem, ótimo! Ela não pode ser julgada por isso. Agora, se outra escolher se depilar e passar maquiagem porque se sente melhor assim, adivinha? ÓTIMO TAMBÉM! Nenhuma mulher é obrigada a nada! Ah, e sobre as feministas que saem sem camisa na Marcha das Vadias: acredito que elas queiram mostrar um ponto importante, que é que assim, independente da roupa que eu estiver usando, meu corpo pertence a mim, e a mim somente.

"FEMINISTAS PROTEGEM BANDIDOS DA PENA DE MORTE MAS SÃO A FAVOR DO ABORTO"

Não, feministas não são a favor do aborto: somos a favor da LEGALIZAÇÃO do aborto. SIM, TEM DIFERENÇA! Ninguém vai sair cortando as barrigas das grávidas na rua e gritando "MORTE AO FETO!" não, tá? Mas é o seguinte: o aborto acontece e vai acontecer todos os dias, independente se você gostar ou não, independente se você achar certo ou não, independente se for legalizado ou não.  O que acontece é que, enquanto não é legalizado, as mulheres procuram métodos loucos e clínicas clandestinas, onde são atendidas por médicos pouco qualificados, em locais sem higiene adequada, sem segurança, e a maioria vai acabar morrendo ou pegando uma infecção no processo. Já com a legalização, as mulheres poderão ser atendidas em clínicas de qualidades, poderão ter acesso a informações completas sobre o processo, médicos qualificados, ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO, ou seja, algo digno, higiênico e seguro. Em alguns países, como no Uruguai, o número de abortos diminuiu após a legalização! Ah, e sobre pena de morte: cada um tem seus princípios e opiniões, mas eu pessoalmente acredito que uma educação (e não digo "dar um livro de matemática ao assassino", como já vi muitos comentando: educação aqui significa respeito pelos outros e noções de uma vida em sociedade mais harmoniosa) de qualidade é bem mais efetiva que uma ameaça de morte.

"FEMINISTAS ODEIAM MULHERES 'BELAS, RECATADAS E DO LAR'"

Como já falei no segundo tópico, nenhuma mulher é obrigada a nada pelo feminismo. Feministas não são contra as mulheres que decidem ficar em casa, cuidando dos filhos e do lar: somos contra a ideia de que apenas essas mulheres tem valor! Simples, não é? Queremos ser valorizadas independente do que escolhermos ser e fazer com nossas vidas!



Ufa, acho que acabamos com esses mitos de uma vez, né?

Agora vou colocar aqui os links de duas postagens do blog Não Aguento Quando que falam do porquê precisamos do feminismo ainda hoje. São duas partes, então aqui é a primeira, e aqui a segunda.  Acho que muita gente não percebo o machismo que está presente em pequenas coisas do dia a dia, coisas que fazemos tão automaticamente que nem percebemos o quão erradas podem ser. Por que minha mãe me mandava sair mais coberta quando fosse sair de noite? Por que ela se preocupava que eu não voltasse pra casa sozinha, mas sim com algum amigO? Por que muitos maridos se orgulham de ajudar suas esposas com as tarefas de casa? Não deviam essas serem deveres de todos os moradores da casa, independente do gênero? Sim, vemos mulheres com necessidades muito maiores em países do Oriente Médio e devemos sim lutar por elas. Mas nossa luta aqui não está terminada. Ainda vivemos, sim, numa sociedade machista, em uma cultura do estupro. Ah, e, falando nisso, quando nós feministas dizemos que "todo homem é um estuprador em potencial", não queremos dizer que todo homem estupraria alguém, ok? Queremos dizer apenas que a sociedade em que esses homens foram criados ainda sustentam valores como a objetificação do corpo da mulher, a submissão da mulher aos desejos de um homem, e a dominação desses. Valores esses que relacionam-se com o estupro.



Agora falando novamente dos objetivos do feminismo, queria esclarecer algo: o feminismo SABE que homens e mulheres são diferentes. As feministas não perderam as aulas de biologia, tá? Não achamos que homens e mulheres são IGUAIS, IDÊNTICOS, mas sim que merecemos direitos iguais. Ninguém deve ser exaltado ou limitado simplesmente por ser de certo gênero, não é?

Sinto que esqueci de falar mil coisas, então talvez eu volte pra atualizar esse post. Sintam-se livres para perguntar e se expressar nos comentários (mas sem ódio, por favor! Vamos procurar ser civilizados e gentis, tá?). Não sou especialista no assunto, mas admito que sou curiosa haha

Por fim, quero deixar o link desse vídeo do buzzfeed, que define o feminismo e desse "guia básico" de feminismo para os homens, que eu achei maravilhoso e muito esclarecedor <3 E também esse textinho pra, sei lá, inspirar? Ou talvez só dar aquele empurrãozinho que faltava pra você, mulher, ter coragem de ser quem você sempre quis ser!

"Tudo puta! Nasceu mulher o defeito é teu. Vadia, vagabunda, piriguéti, promíscua, vulgar, PUTA. Mulher tem que se valorizar. Mulher tem que estar com o corpo no padrão. Mulher tem que ser mulher de verdade. Mas o que são? Isso, puta. Foi assediada, violenta, estuprada? O problema é seu. Engravidou? Não pode abortar. Mas afinal, que culpa a criança tem? Na hora de fazer não reclamou. Se dê o respeito. Não queira merecer um estupro. Não seja puta. Mulher tem que se comportar. Sorria. Não fale alto. Não fique até tarde na rua. Não seja gorda. Mulher tem que estar com o corpo no padrão. Não use roupa muito curta, decotada. Assim está pedindo pra ser estuprada. E se for estuprada a culpa é sua. Você mereceu. Não queira merecer um estupro. Mulher não pode ir pra balada. Mulher não pode beber. Isso é coisa de puta. Se te assediarem a culpa é sua.
Não trepe. Não aborte. Não seja gorda. Não seja magra. Não reclame. Não pergunte. Não exija direitos. Não beba. Não seja lésbica. Não seja feminista. Não faça o que sentir vontade. Não seja puta.
Tá grávida, puta. Abortou, puta. Foi estuprada, puta. Violentada, puta. Assediada, puta. Não quer casar, puta. Não quer homem, puta. É lésbica, puta. É feminista, puta. É mulher, puta.
E você, foi, é ou ainda vai ser? Faça o que quiser. A revolução vem para salvar nossas vidas. Para a sociedade sempre seremos putas. Liberte-se mulher!
Bruna Lira"

Só queria dizer que eu não vim aqui tentar convencer vocês a serem feministas não, por mais que eu acredite que vocês devam ser. Desejo de coração que vocês tenham essa liberdade pra escolherem ser o que querem ser, e acreditarem naquilo que realmente acreditam, sem imposições. Mas realmente acho que se vamos nos posicionar contra ou a favor de algo, devemos pelo menos conhecer aquele "algo" antes, não é?



Espero que tenha sido esclarecedor (isso se alguém chegou ao fim!),
Beijos,