terça-feira, 15 de novembro de 2016

Vida de vestibulando (uma reflexão e incentivos)

  No comments    
categories: 

Oi, gente, tudo bem com vocês? Faz um tempinho, né? É que eu estava de novo na época de vestibular. Comecei a fazer uma faculdade esse ano, mas acabei não me identificando com o curso e saí. Voltei para o cursinho no meio do ano e por sorte tinha feito a inscrição do ENEM. Então, assim, voltando pra esse meio e essa vida de vestibular comecei a refletir sobre algumas coisas. Acho que esse post precisa existir. Então vou tentar organizar minhas ideias aqui.

Acho que que vestibular não é fácil todo mundo já sabe, né? Provavelmente todo mundo conhece a pressão dos familiares, da sociedade e até dos amigos. Mas acho que a gente chegou num ponto em que todos já assimilaram isso, e a ansiedade, a depressão e outros mil problemas que vem com o estresse de tentar entrar em uma faculdade passaram a ser normalizados. E só recentemente comecei a perceber o quanto isso não é normal, e o quanto isso pode acabar com uma pessoa.

Primeiro, tenho que ressaltar algo que muitas vezes fica implícito: você não tem que fazer faculdade. Acho que a faculdade talvez seja o meio mais fácil de encontrar seu caminho. Mas uma das mil opções que você tem e pode considerar é, sim, o caminho não usual de, simplesmente, não querer fazer curso algum. Apesar da absurda variedade de cursos que existem, nem todas as áreas, todas as carreiras, são abordadas na faculdade, principalmente aqui no Brasil. Então, se você acha que seu caminho não passa pela universidade, entenda que tudo bem. Se você está bem com isso, é só o que importa. Temos uma visão de mundo que nos é imposta de que apenas aqueles que fazem faculdade e mestrado e doutorado e pós e sei lá mais o que são bem sucedidos. Mas a verdade é que não existe um modelo de vida para alcançar o sucesso. Aliás, o que realmente é esse tal "sucesso"? Esse é um conceito muito relativo pra cada um, não é? Então faz sentido que pessoas diferentes, com conceitos diferentes, sigam caminhos diferentes.

E se você por acaso resolver que quer ir pra faculdade, vá! E se resolver que aquele curso não é pra você? Mude! E se der "errado" de novo? Mude novo, porque você, a vida e todo seu humano está em constante mudança. E aquele "errado" tá entre aspas por um motivos também: porque não existe caminho errado. Lembre-se que cada mudança, cada decisão da sua vida, cada momento, vai te acrescentar algo e te transformar cada vez mais em você mesmo. Nunca é perda de tempo. Se você precisa ficar no cursinho mais um ano pra passar naquele curso que é seu sonho, não é perda de tempo. Se você precisar largar um curso pra tentar outro, também não. Se você quiser parar a sua vida pra ficar um ano só se descobrindo, adivinha? Também não é perda de tempo!

O que quero falar realmente é: tenham coragem de não sucumbir a pressões sociais, familiares, ou até mesmo pressões internas. Descubram-se, e descubram seus próprios caminhos. Não se estresse demais com provas como ENEM e outros vestibulares, porque se você não passar, eu juro que você não vai morrer. Acredite, falo por experiência própria. E a possibilidade de ter que fazer cursinho de novo é bem assustadora, eu sei, mas nunca é tão ruim quanto você imagina. Você tem todo o tempo do mundo, e é o seu tempo. Ignore pessoas que te fazem correr, que te pressionam ainda mais e que falam que vocês tem que virar a noite estudando. Elas não te acrescentam nada além de estresse. Estresse esse que, aliás, pode ser o que está te impedindo de passar! A gente tende a descartar as dificuldades mentais e psicológicas que temos, mas são elas que fazem toda a diferença. Então, tenha um tempo pra você. Tome um calmante, faça uma massagem, assista um filme, vá ao psicólogo, faça aquilo que te relaxa e te faz bem.

Tem horas na vida que a gente tem que simplesmente ser egoísta e descartar opiniões que nos fazem mal. Ninguém realmente entende o que você está passando, então tente esquecer os julgamentos e faça o melhor para si mesmo.

Espero do fundo do coração que essa reflexão te ajude. Eu tive a sorte de perceber isso e contar com pessoas que só me ajudaram, e inclusive um cursinho que não incentivava o estresse, e sim a tranquilidade. Então, boa sorte para nós.

Por fim, quero só dizer que estou disponível pra qualquer um que precise de ajuda tanto com a matéria mesmo (mas lembrem-se que eu sou de humanas, a inutilidade em exatas é real) ou com emoções e desabafos.

Sei que o futuro reserva coisas maravilhosas pra todos nós!
(Sim, eu tava inspirada)
Beijos,

0 comentários:

Postar um comentário